TRE marca julgamento sobre pedido de cassação do distrital José Gomes

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF) julga, na próxima terça-feira (18/3), às 17h, a denúncia de abuso de poder econômico contra o deputado distrital José Gomes (PSB). Em 13 de fevereiro, o Ministério Público Eleitoral (MPE-DF) pediu a cassação do diploma e da declaração de inelegibilidade pelo período de oito anos do parlamentar, acusado de coagir funcionários da empresa Real JG Serviços Gerais para que votassem nele nas últimas eleições.

No período eleitoral, o socialista foi alvo de denúncia por parte de funcionários da empresa da qual era dono. Segundo as acusações, ele teria ameaçado de demissão aqueles que não o apoiassem à Câmara Legislativa. Pelo menos 12 empregados da Real JG teriam sido desligados da empresa por esse motivo. O distrital nega todas as acusações.

“Odioso processo de assédio”
De acordo com o procurador-regional eleitoral José Jairo Gomes, a campanha de José Gomes resultou em um “odioso processo de assédio e coação”.

“A exauriente dilação probatória evidenciou que os empregados da empresa Real JG Serviços Gerais, desde o instante em que o réu lançou-se pré-candidato ao cargo de deputado distrital, foram submetidos a odioso processo de assédio e coação para manifestarem seu apoio político em favor daquela candidatura e trabalharem por sua eleição, sob pena de virem a sofrer prejuízos em suas relações de emprego”, afirmou o procurador no parecer.

A acusação apontou que José Gomes pedia para os funcionários de sua empresa “vestirem a camisa”. As comunicações eram enviadas pelo empresário por meio de mensagens de texto aos trabalhadores. Segundo o MPE, os comunicados eram claramente direcionados para fins eleitorais.

O procurador também ressaltou a participação do diretor operacional Douglas Ferreira Laet, primo de José Gomes, no processo de coação dos empregados. Em um dos momentos descritos na peça, Douglas teria feito um recadastramento sob a alegação de ser uma “exigência do governo”.

Áudios
Segundo o parecer do MPE, durante uma reunião, Douglas Laet teria dito que os trabalhadores deveriam “demonstrar gratidão pelo emprego, pelo salário, e lealdade por seu empregador, empenhando-se em sua candidatura”. Ele acrescentou que “a retribuição pelo trabalho seria aferida pelo número de votos obtidos na seção de votação dos funcionários de sua empresa”, de acordo com o documento.

Indícios mais contundentes do processo revelados pelo Metrópoles, as gravações de uma reunião entre Douglas e funcionários fazem parte do processo. Apesar da ressalva de que o gravador não pode ser periciado, uma vez que a origem do aparelho não foi revelada, o MPE afirmou que as provas são claras, pois demonstram o interesse dos réus em coagir os trabalhadores.

Metrópoles

Arquivado em : MANCHETE, Politica
Veja Também
Politica

Brasil não precisa de ‘heróis’, diz Toffoli em Belo Horizonte

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, afirmou na noite desta segunda-feira, 18, em Belo Horizonte (MG), que o combate à criminalidade no País não se faz com “heróis”, mas com as instituições. O ministro participou do seminário Macrocriminalidade – Desafios da Justiça Federal, organizado pela Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe). […]

Politica

Brasil aceitará dinheiro chinês, diz Guedes nos EUA

os Estados Unidos, o ministro da Economia, Paulo Guedes, fez uma provocação aos americanos sobre a relação do Brasil com a China. Ao dizer que o País está aberto a investimentos, Guedes foi claro ao sinalizar que o País continuará a fazer negócio com os chineses. “Nós vemos vocês fazendo negócios com chineses há anos. […]

DESTAQUES, Politica

Alcolumbre cria comissão para avaliar MP da contribuição sindical

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), decidiu criar uma comissão para decidir sobre a constitucionalidade da Medida Provisória 873/2019, editada pelo governo Bolsonaro (PSL) no Carnaval, com o intuito de reforçar o caráter facultativo da contribuição sindical. As centrais sindicais argumentam que o texto é inconstitucional, pois impediria a livre organização dos trabalhadores em […]

DESTAQUES, Notícias Locais e Regionais, Politica

Juiz do DF condenado por falsidade ideológica começa a cumprir pena

Condenado por falsidade ideológica e constrangimento ilegal, o juiz Fábio Martins de Lima foi intimado pela Presidência do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) a se apresentar para dar início ao cumprimento da pena de 2 anos. A punição foi convertida em restritiva de direito, que pode ser prestação de serviços à […]